A mensagem da cruz

A pregadora Carla começou a dizer que o amor pela cruz deve impulsionar a nossa vida. A verdadeira mensagem de cruz está sendo distorcida por nós. Afirmamos que nós valemos um Cristo crucificado, porém o verdadeiro valor é o Cristo ressuscitado.

O que tem sido feito por nós é digno de ser imitado por outra pessoa? Qual a mensagem que estamos passando? Questionou Carla.

Em Atos 2,23 o apóstolo Pedro inicia o discurso com a afirmação “nós o matastes”. A mensagem é a da verdade. Não se deve fazer promessa daquilo que não pode ser dado. Hoje está sendo prometido no nosso meio algo que não é a mensagem da cruz.

A mensagem de Jesus era não de deixar de termos provação, pelo contrário ele diz “no mundo haveis de ter aflições coragem eu venci o mundo” (cf. João  16,33). Já o apóstolo Paulo exortou na Carta aos Filipenses 3,12 “trabalhai na vossa salvação com temor e tremor”.

O pedido de Jesus é “se alguém quer me seguir, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (cf. Marcos 8, 34). Quando começamos a justificar as nossas falhas (auto-justificação) nos colocamos na condição de poder julgar as falhas dos outros. O profeta João Batista disse “que Ele cresça e eu diminua” (cf. Jo 3, 30). Carla finalizou citando a passagem de Atos 5, 41 que diz “eles saíram da sala do Grande Conselho, cheios de alegria, por terem sido achados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Jesus”. Ressaltou que é preciso pregar aquilo que o Senhor ensinou, ou seja, a palavra de Deus. Não ter opinião e sim seguir a Palavra.

Compartilhe



Powered by themekiller.com