Senhor, queremos ser misericordiosos como o Vosso Pai…

Mensagem de Dom Otacílio na Homilia de 23/03/2019 para a RCC-BH

Senhor, somos iluminados pela Vossa Palavra comunicada na Parábola do Pai misericordioso, que nos revela a face e o agir de Deus, expressão suprema de ternura, bondade, acolhida e perdão.

Vós nos ensinais que não basta ter permanecido sempre na casa do Vosso Pai para participar do Banquete, é preciso que saibamos perdoar de coração sincero, sem limites, como nos ensinais também a perdoar.

Vós não só quereis que nada façamos de reprovável, mas quereis e esperais uma nova postura e mentalidade de quem se afastou de Vossa casa, porque experimentou um novo olhar de misericórdia.

Vós quereis que nossa fé não se resuma à observância das Leis da Igreja e do Estado, e ao trabalho sempre por um mundo mais justo, mas que nossa conduta seja marcada por princípios éticos que reluzem em Vossos ensinamentos.

Senhor, Vos suplicamos que nos ensineis a perdoar a quem caiu, sendo sinal de Vossa bondade, não guardando rancor contra o nosso próximo, na família, comunidade ou em qualquer outro lugar.

Senhor, queremos nos afastar de todo mal e aprender a fazer o bem, alegrando-nos com a reconciliação daquele que estivera perdido e por Vós foi encontrado; morto e voltou a viver.

Senhor, assistidos pelo Vosso Espírito, como Igreja, na comunhão com Vosso Pai Misericordioso, sejamos não uma comunidade dos que não erram, dos que não caem, mas dos pecadores que querem voltar a Vós, Trindade Santa de Amor pleno e eterno.

Senhor, ajudai-nos a construir uma comunidade dos que compreendem o outro e, se este cai, o ajuda a retomar o caminho juntos, quer comunicando uma palavra, quer multiplicando um gesto de ternura e perdão. Amém.

Fonte Inspiradora: Passagem do Evangelho Lc 15,1-3.11-32
Livre adaptação do Missal Dominical p. 236

Oração composta por Santa Faustina Kowalska

“Ajudai-me, Senhor!

“Ajudai-me, Senhor, para que os meus olhos sejam misericordiosos, de modo que eu jamais suspeite nem julgue as pessoas pela aparência externa, mas perceba a beleza interior dos outros e possa ajudá-los.

Ajudai-me, Senhor, para que os meus ouvidos sejam misericordiosos, de modo que eu esteja atenta às necessidades dos meus irmãos e não me permitais permanecer indiferente diante de suas dores e lágrimas.

Ajudai-me, Senhor, para que a minha língua seja misericordiosa, de modo que eu nunca fale mal dos meus irmãos; que eu tenha para cada um deles uma palavra de conforto e de perdão.

Ajudai-me, Senhor, para que as minhas mãos sejam misericordiosas e transbordantes de boas obras, nem se cansem jamais de fazer o bem aos outros, enquanto, aceite para mim as tarefas mais difíceis e penosas.

Ajudai-me, Senhor, para que sejam misericordiosos também os meus pés, para que levem sem descanso ajuda aos meus irmãos, vencendo a fadiga e o cansaço; o meu repouso esteja no serviço ao próximo.

Ajudai-me, Senhor, para que o meu coração seja misericordioso e se torne sensível a todos os sofrimentos do próximo; ninguém receba uma recusa do meu coração. Que eu conviva sinceramente mesmo com aqueles que abusam de minha bondade. Quanto a mim, me encerro no Coração Misericordiosíssimo de Jesus, silenciando aos outros o quanto tenho que sofrer.

Vós mesmo mandais que eu me exercite em três graus da misericórdia; primeiro: Ato de misericórdia, de qualquer gênero que seja; segundo: Palavra de misericórdia – se não puder com a ação, então com a palavra; terceiro: Oração. Se não puder demonstrar a misericórdia com a ação nem com a palavra, sempre a posso com a oração. A minha oração pode atingir até onde não posso estar fisicamente.

Ó meu Jesus, transformai-me em Vós, porque Vós tudo podeis”.

Compartilhe



Powered by themekiller.com